COMPARTILHAR

Confira 15 dicas para evitar dor de cabeça ao alugar um carro para viajar.

A pesquisa de tarifas à escolha do seguro, veja o que deve ser levado em conta por turistas que estão querendo rodar algum destino no comando de um carro.

1 -Faça um roteiro circular se for a mais de um país
Se a ideia for percorrer mais de um país ou cidades distantes, planeje um roteiro circular, ou seja, retire e devolva o veículo na mesma loja. Em muitas locadoras, é preciso pagar uma taxa de devolução para entregar o automóvel em outro local. Um exemplo: na Avis, sete diárias de um carro econômico retirado e devolvido em São Paulo sai cerca de R$ 420. Se a devolução for no Rio de Janeiro, há uma taxa de retorno de R$ 490; ou seja, o aluguel sobe para R$ 910.

2 – Desconfie de pacotes ‘all inclusive’
Cheque se há pacotes promocionais do tipo “all inclusive” (tudo incluído), que combinam diárias de locação com seguros. Fique atento, entretanto, ao tipo de proteção oferecida. Muitos destes pacotes oferecem apenas as mais básicas. De acordo com Carlos Sarquis, diretor de locação da Unidas, é recomendado pagar a diferença e contratar um seguro que não seja parcial.

3 – Avalie o estado do veículo
Antes de sair dirigindo, avalie com o funcionário da locadora as condições do veículo, como eventuais danos na lataria, estado do estepe, calibração dos pneus. Observe também se o tanque está cheio. Viajantes experimentados gostam de dar uma volta no quarteirão antes de sair rumo à estrada.

4 – Pré-pague a locação no Brasil
Em viagens para fora do país, esta é a primeira dica de Oskar Kedor, diretor da locadora Mobility. “Você foge da cobrança internacional, economizando 6,38% do IOF [Imposto sobre Operações Financeiras]. Além disso, paga em reais e evita um possível risco cambial.”

5 – Contrate seguro contra terceiros

Paula Coelho/Folhapress

Quais proteções são indicadas contratar é uma das maiores dúvidas do turista que pretende alugar um carro. É recomendável ter seguro que cubra roubo, furto e colisão do veículo alugado e também responsabilidade contra terceiros -este último não costuma ser incluído nas tarifas básicas.

“É comum agentes de viagem e locadoras persuadirem o cliente a assinar várias proteções, o que pode dobrar o valor da locação. A cobertura de acidentes pessoais [Personal Accident Insurance], por exemplo, já está assegurada pelo seguro de viagem”, diz Oskar Kedor, diretor da locadora Mobility.

Assistência 24 horas para casos de pane geralmente faz parte de tarifas econômicas, mas é importante checar junto à locadora ou à agência de viagem.

“É comum agentes de viagem e locadoras persuadirem o cliente a assinar várias proteções, o que pode dobrar o valor da locação. A cobertura de acidentes pessoais [Personal Accident Insurance], por exemplo, já está assegurada pelo seguro de viagem”, diz Oskar Kedor, diretor da locadora Mobility.

Assistência 24 horas para casos de pane geralmente faz parte de tarifas econômicas, mas é importante checar junto à locadora ou à agência de viagem.

6 – Não conte apenas com o seguro do seu cartão de crédito

Paula Coelho/Folhapress

Abrir mão do seguro da locadora e confiar em proteções oferecidas por cartões de crédito é uma “economia besta”, segundo o empresário Ricardo Ralston, que costuma viajar de carro com a família nos Estados Unidos e na Europa e, a trabalho, no Brasil.

“Você não viaja tranquilo, porque a maioria dos cartões não cobre danos materiais contra terceiros nem acidentes com vítimas”, afirma Ralston. “Para evitar dor de cabeça, prefiro comprar o da locadora. E olha que eu sou pão-duro.”

7 – Escolha o melhor tipo de quilometragem
Para escolher entre quilometragem controlada ou livre, é preciso calcular quanto você pretende rodar na viagem. “A primeira custa menos e é indicada para quem vai se deslocar pouco. Já o turista que quer se deslocar bastante deve optar pela quilometragem livre. Ele paga um pouco mais, mas se livra de gastos extras se exceder o limite”, compara Herbert Viana Andrade, diretor de marketing da Localiza.

8 – Compare tarifas de modelos populares, compactos e intermediários

Paula Coelho/Folhapress

A diferença entre as diárias de modelos econômicos, compactos e intermediários tem caído, sobretudo nos Estados Unidos. Ela pode ser de apenas US$ 4 (R$ 9,50) em cidades como Miami e Los Angeles, pela Mobility. Coloque na balança preço, conforto e maior espaço para bagagem antes de optar por um carro econômico, principalmente se for fazer deslocamentos longos ou tiver muitas malas e compras para acomodar.

9 – Compare preços on-line

Paula Coelho/Folhapress

Antes de efetuar reserva diretamente em uma locadora, faça pesquisa em comparadores de preços como Skyscanner, Kayak e RentCars.com.br e HolidayCars.com, que permitem ao viajante buscar tarifas de diversas empresas no Brasil e no exterior, além de fazer a reserva on-line.

10 – Avalie o destino antes de optar pela locação
É delicioso sair como Jack Kerouac, o escritor americano que eternizou a dupla volante & viagem no clássico “On the Road” (“Pé na Estrada”; 1957), mas um carro não oferece a melhor experiência em qualquer destino.

Ele pode colocar a segurança dos passageiros em risco, em lugares violentos. No Brasil, turistas têm relatado insegurança para dirigir a partir do aeroporto Galeão, na zona norte do Rio. A dica, neste caso, é ir de táxi ao centro da cidade ou ao aeroporto Santos Dumont e retirar o automóvel lá.

O veículo também não é uma boa opção em grandes centros urbanos como Nova York, Londres, Paris e Roma, onde os estacionamentos são caros e o trânsito é pesado -é mais indicado optar pelo transporte público ou táxis.

Se apenas uma parte do seu roteiro for urbano, planeje-se para pegar o carro quando estiver saindo da metrópole em direção a outros destinos -de Roma à região da Toscana, por exemplo.

Quem deseja dar uma escapada curta pode alugar um carro apenas por um dia. Assim, o turista que está hospedado em Paris e quer conhecer o Palácio de Versalhes pode dirigir até lá com mais economia que o táxi (em pesquisa on-line, a diária na Hertz em Paris foi encontrada por R$ 195; ida e volta de táxi sai cerca de R$ 300).

11 – No Brasil, compare custos do carro com táxis e tours

Paula Coelho/Folhapress

Para quem estiver com a família em viagens ao Nordeste, o automóvel pode ser a opção mais vantajosa se o objetivo for conhecer diversas praias e cidades.

“Mesmo que você esteja hospedado num resort, ele é uma alternativa mais econômica do que táxis ou tours. A maioria dos nossos carros acomoda cinco pessoas, que pagam uma só diária”, diz Herbert Viana Andrade, diretor de marketing da Localiza.

Já em capitais como São Paulo, Belo Horizonte e Salvador, ele lembra que uma perna de deslocamento de táxi do aeroporto ao hotel praticamente equivale à diária de um carro básico, com ar.

12 – Reserve com antecedência

Paula Coelho/Folhapress

Fique de olho em promoções para reserva antecipada -na Localiza, por exemplo, elas podem ter até 15% de desconto na tarifa em relação ao preço original. É como no mercado de passagens aéreas: quanto antes fizer a reserva, mais chances de pagar menos por ela.

13 – Pegue e devolva na mesma loja
Não é só pegar e devolver o veículo em cidades diferentes que pode encarecer a locação. Antes de fazer a reserva, verifique se será cobrada taxa extra em caso de devolução em uma loja diferente -na mesma cidade- daquela onde foi a retirada.

14 – Pacotes para períodos longos têm desconto

Paula Coelho/Folhapress

Alugar um veículo por períodos longos pode gerar economia, já que várias locadoras oferecem descontos em pacotes semanais, quinzenais e mensais. Só não se esqueça de incluir na conta possíveis gastos com estacionamentos.

Um aluguel de seis dias na Localiza, em carro econômico com ar-condicionado, custa R$ 834 (R$ 139 por dia). Já o pacote de uma semana sai por R$ 833, e cada diária extra a partir desse período cai para R$ 119.

15 – Calcule os gastos com combustível

Paula Coelho/Folhapress

Analise os gastos com combustível antes de escolher um carro para alugar. Famosos por serem mais econômicos, inclusive na hora de encher o tanque, os veículos 1.0 “bebem” mais se for preciso fazer ultrapassagens nas estradas.

“Eficiência no consumo nem sempre é sinônimo de carro pequeno”, afirma John Salagaj, diretor de marketing da Hertz.

*

ONDE ALUGAR
Valores mais baratos de diárias de carro econômico, com quilometragem livre.