COMPARTILHAR

Cabo Verde

 

A equipe do “EuVouViajar” efetuou uma viagem para conhecer o arquipélago de Cabo Verde, localizado na costa africana com suas 10 ilhas belíssimas, um pedaço da Europa na África devido sua colonização Portuguesa.

Do Brasil temos voos diretos de Recife ou Fortaleza com destino a Cidade de Praia na Ilha de Santiago, capital de Cabo Verde. Duração de 4 horas de Recife ou 6 horas de Fortaleza em voos da companhia aérea TACV (Transportes Aéreos Cabo Verdiano – Cabo Verde Air Lines) operados por Boeing 757-200.

O preço da passagem é outro convite a parte:

Saindo de Recife ou Fortaleza (ida e volta com taxas)

  • R$ 1054,00 por adulto (maiores de 12 anos completos)
  • R$ 808,00 por criança (maiores de 02 anos completos até 11 anos)
  • R$ 110,00 para bebês (menores de 2 anos completos)

PS: O único inconveniente é que a empresa TACV ainda não aceita parcelamento, apenas pagamento a vista (Dinheiro ou cartão de crédito)

 

Recife / Praia – Saída 03:10 // Chegada 09:10 (Horário local) – Vôos as sextas-feiras.

Praia / Recife – Saída 22:05 // Chegada 02:10 (Horário local) – Vôos as quintas-feiras.

 

Fortaleza / Praia – Saída 01:00 // Chegada 09:10 (Horário local) – Vôos as sextas-feiras.

Praia / Fortaleza – Saída 22:05 // Chegada 00:05 (Horário local) – Vôos as quintas-feiras.

 

Nosso vôo ocorreu sem problema algum, uma cordialidade que o povo Cabo Verdiano carrega consigo em relação à nos brasileiros, a famosa “morabeza”, avião não é novo, mas não deixou nada a desejar. Ou seja, era o que esperávamos encontrar. A bordo já é distribuído o cartão de imigração que já pode ser preenchido para não enfrentar maiores demora na chegada ao aeroporto internacional Nelson Mandela.

O visto pode ser retirado de duas formas, antecipadamente nos Consulados de Cabo Verde no Brasil (Portal Consular Cabo Verde ou www.embcv.org.br ) ou então direto na sua chegada no aeroporto de Santiago. Pagamos uma taxa de 25 euros em moeda corrente (Nós alertaram que não é sempre que aceitam em Reais por causa do câmbio, melhor levar em Euros).

Chegamos e já fomos direcionados para a fila de imigração de estrangeiros, não demoramos mais do que 20 minutos para sermos atendidos, documentação verificada e nos foi perguntado o motivo da visita, onde iriamos ficar e a duração da viagem. O fiscal de imigração nos concedeu 5 dias de visto, porém explicamos que nossa viagem demoraria ao todo 7 dias e ele mudou a inscrição na hora. Fiquem atentos.

A entrega da bagagem foi “rápida”, porém na saída há uma fiscalização da Vigilância Sanitária forte para verificar se trazíamos algo suspeito (comida, bebida ou mesmo drogas). Notamos que algumas pessoas do nosso vôo caíram nesta peneira e ali ficaram com suas bagagens toda sendo revistada.

A recepção quando as portas do aeroporto se abrem é o que te faz lembrar que você está em solo africano, o calor que recebe é algo impactante.

O aeroporto se localiza a 3 km do centro, bem fácil de acesso via táxi (superbarato – EUR 5 / CVE 550 durante o dia ou o dobro depois das 22:00hs) ou ônibus local (EUR 1,00 / CVE 110).

 

O arquipélago de Cabo Verde está localizado na zona tropical e tem um clima tropical e temperado o ano todo, ventos fracos que sopram constantemente. As temperaturas variam pouco ao longo das estações do ano. A temperatura máxima fica entre 25 a 35ºC, enquanto as temperaturas mínimas variam entre 18 a 25ºC. Os meses mais frios são de dezembro a março, porém todos os meses do ano são aconselhados para a visita

 

A moeda local é o Escudo Cabo Verdiano (CVE) e também aceito o Euro, porém em lojas menores, mercado, vendedores ambulantes até aceitam, o troco é convertido à moeda local, o que te faz perder na conversão.

A moeda está congelada para a conversão na faixa de CVE 110 – EUR 1,00, nos hotéis, bares, restaurantes você conseguirá efetuar a troca, o que variará de local para local de 100 a 110 CVE. Barganhe, sempre pode negociar.

 

A cultura local é diversificada, com MUITA pobreza e riqueza também, porém o contraste as vezes assusta aos desavisados.

A música em especial tem sua peculiaridade nos gêneros Morna, Funaná, Cola dera. E Cabo Verde tinha sua Diva local e mundial – Cesária Évora (A diva dos pés descalços), faleceu em 17/Novembro/2011, mas deixou sua marca e músicas internacionalmente conhecidas.

Os nativos / povo local fala o Crioulo e se viram tranquilo no português lusitano, alguns arranham no inglês. Porem como Cabo Verde é uma entrada da África e da Europa, a variedade de línguas faladas é grande, haja vista que estamos (com voos direto) a 4 horas de voo do Brasil, 4 horas para Senegal, 4 horas para Lisboa, 6 horas Amsterdã, 8 horas Paris, 3 horas de Casablanca.

E muita gente vem se aventurar, seja a trabalho ou mesmo a lazer.

 

Os pratos em restaurantes ou bares são servidos “a francesa”, ou seja, prato de entrada, prato principal, sobremesa e o cafezinho na saída. Servido na mesa pelo garçom, sempre cordiais e educados (o que nos chamou a atenção, é que a grande maioria são jovens aprendizes que estudam esta profissão nas escolas técnicas locais – o foco no emprego local é uma grande força do governo de Cabo Verde, com grande investimento da Europa.)

Experimentamos um dos melhores restaurantes da Ilha – O Poeta Lounge & Food – o prato local por indicação do Jovem Aprendiz e admitimos que foi uma grata surpresa, recomendamos o Bífe de Atum com legumes no vapor, na sequência um pudim de leite…..Juro que nunca provei um peixe tão saboroso. Isso regado a cerveja, na ilha são comercializados dois tipos: Sagres (Portuguesa) e a Strela (Cabo Verde), nada de excepcional porém no calor da ilha, nada mais agradável.

Nós hospedamos no Hotel Roterdão pois era de fácil locomoção em nossos trajetos, não é de luxo – é considerado um 3 estrelas, porém tem quartos novos, espaçosos, ar-condicionado, TV tela plana, banheiro espaçoso e um belo café da manha. Nosso recepcionista era da Guiné Bissal e falava um português bem pausado com leve sotaque francês e nos passou várias dicas de passeio em Praia e várias histórias de seu país (vem ai outro roteiro..rsrsrs).

As praias são belas, de areia limpa e fina em alguns pontos e outros mais grossos (bem pouca), como o solo de Cabo Verde é de origem vulcânica, o que mais tem na praia é a pedra vulcânica, com seu tom preto o que deixa o mar com um tom azulado bem escuro, impressionante.

Uma das únicas praias de areia da Ilha de Santiago é a praia de Tarrafal (35 km de distância do centro), mas não se preocupem pois o asfalto é de primeiro mundo e novinho em folha. Sem um buraco ou desnível ( o que nos dá inveja), no caminho para Tarrafal podemos observar a antiga colônia penal (foi colônia de Portugal até 5/julho/1975) o que ainda causa certa “dor” nos locais ao comentar sobre o assunto.

 

Outro ponto de interesse é a Cidade Velha (14 km do centro), foi a primeira cidade construída pelos europeus na linha do Equador em solo africano e a primeira capital de Cabo Verde, seu antigo nome era Ribeira Grande (o povo local ainda o chama assim), foi constituída em 2009 como uma das Sete Maravilhas Portuguesas no Mundo pela UNESCO como Patrimônio da Mundial da Humanidade.

Praia é a maior cidade de Cabo Verde, hoje com aproximadamente 200 mil habitantes, a zona comercial (lojas, bancos, comércio de peixes e estabelecimentos públicos) se chama Plateau, vale a pena um passeio para observar a decoração e estilo arquitetônico das casas, ao estilo português de origem.

 

Sugerimos o tempo ideal para conhecer a Ilha de Santiago como sendo 3 dias inteiros (2 noites), pois ainda temos 8 ilhas para conhecer (Cabo Verde possui 10 ilhas, sendo apenas 9 habitadas).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nosso próximo destino – Ilha de São Vicente (Mindelo).

  • Luiz Fernando Arruda

    Lugar muito interessante e exótico, vale a pena conhecer.

    • Realmente Luiz… está na lista para conhecer! Parabéns pelas fotos…