COMPARTILHAR
Parece que Amsterdã não é a única cidade a querer restringir o volume de seus visitantes. Após o governador de Vêneto colocar em debate a limitação no número de visitantes em Veneza, a cidade instalou “sistemas” a fim de regular o acesso de turistas. A decisão foi tomada no final de abril para limitar ou melhorar o acesso ao destino e já há venda de ingressos para quem quiser visitar a principal praça da cidade italiana, a San Marco.

Como se não bastasse ter de comprar um tíquete pra visitar um dos principais cartões postais de Veneza, o turista ainda precisa reservar com antecedência a data e horário. As primeiras experiências da medida deverão acontecer a partir de julho, durante a alta temporada europeia. Apesar disso, a entidade municipal de Turismo da cidade ainda não confirmou em detalhes como e quando os ingressos serão disponibilizados.

Embora por si só já pareça polêmica, a venda de ingressos para a praça San Marco é apenas uma de 23 propostas para limitar a presença de turistas — sobretudo de quem faz passagens rápidas, como cruzeiristas, por exemplo. A ideia, que é apoiada por moradores locais, visa diminuir em pelo menos quatro milhões o número de visitantes.

A partir de uma baixa expectativa, com 12 milhões de turistas ao ano, ao cobrar cinco euros por tíquete, a arrecadação chega a cerca de 60 milhões de euros para os cofres do município. Focada para turistas de curto prazo, o município afirma que a diminuição do fluxo irá beneficiar os próprios turistas — “uma vez que haverá mais espaço para a locomoção nas ruelas estreitas”.

*Fonte: Ansa e Primera Hora